Louis Vuitton processa vendedores online de peças falsificadas na China

PEQUIM (Reuters) - A empresa francesa de bens de luxo Louis Vuitton está pedindo indenização de três pessoas condenadas pela oferta de versões falsificadas de suas roupas, sapatos e bolsas no popular site Taobao, do Alibaba Group Holding, disse um tribunal em Pequim.

Um tribunal distrital em Pequim aceitou na segunda-feira passada a ação movida pela Louis Vuitton, de propriedade da LVMH, maior grupo de luxo do mundo, de acordo com um comunicado no site do tribunal.

Dois dos três acusados têm sobrenome Liang, e o outro, Han. A companhia está pedindo no tribunal que parem de infringir sua marca registrada e está buscando compensação por perdas econômicas de 250.000 iuanes (37.900 dólares), segundo o comunicado.

A Louis Vuitton não pôde ser encontrada para comentar o assunto. Não foi possível entrar em contato com os réus.

Os três acusados ​​estavam vendendo as mercadorias no Taobao, um site de compras online semelhante ao eBay e Amazon, que reúne compradores e vendedores, de acordo com o tribunal. O Alibaba Group não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

Os três réus foram condenados a penas criminais não especificadas em 2014 pela venda de versões falsificadas de produtos Louis Vuitton, disse o tribunal.

(Por Sui-Lee Wee)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos