Parlamento egípcio se reúne após ausência de mais de três anos

CAIRO (Reuters) - O novo parlamento do Egito realizou sua sessão inaugural neste domingo, noticiou a televisão estatal, mais de três anos após um tribunal dissolver a antiga casa dominada por islamistas.

O corpo deve escolher seu presidente na primeira sessão e agora tem 15 dias para aprovar centenas de leis emitidas por decreto executivo durante o período em que foi suspenso.

O parlamento egípcio anterior foi eleito em 2011-12 na primeira eleição livre no país após um levante popular que deu fim ao mandato de 30 anos do autocrata Hosni Mubarak.

Mas um tribunal dissolveu aquele parlamento em meados de 2012 após decidir que as leis eleitorais na época eram inconstitucionais.

Um ano mais tarde, o sucessor eleito de Mubarak, Mohamed Mursi da Irmandade Muçulmana, foi derrubado pelo exército liderado por Abdel Fattah al-Sisi.

O novo parlamento, que será dominado por uma aliança leal a Sisi, hoje presidente, tem 568 membros eleitos e 28 indicados diretamente por ele.

A nova assembleia foi escolhida em eleições que, segundo críticos, foira minadas por uma ofensiva de segurança contra grupos islamistas e da oposição.

(Reportagem de Mostafa Hashem)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos