Conab reduz estimativa de safra de soja do Brasil para 102,1 mi t

SÃO PAULO (Reuters) - Problemas climáticos em algumas regiões do país levaram a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) a reduzir, nesta terça-feira, sua previsão para a safra brasileira de soja 2015/16 para 102,1 milhões de toneladas, ante 102,5 milhões da previsão de dezembro, mas ainda a maior colheita da história do país.

Somando a produção de milho e outros produtos, a safra de grãos e oleaginosas do país deverá atingir 210,5 milhões de toneladas, uma pequena redução 0,2 por cento ante a previsão do mês passado, mas ainda um volume recorde.

Em Mato Grosso houve falta de chuvas e replantio de lavouras de soja em diversas áreas, disse a Conab.

"É consenso entre os informantes consultados que a falta de precipitações irá proporcionar queda de produtividade e que a soja precoce será a mais afetada", citou a entidade, referindo-se ao Mato Grosso, principal Estado produtor da oleaginosa.

Sobre o Paraná, segundo Estado produtor, a Conab disse que "existe uma possibilidade de redução do potencial produtivo das lavouras", em função de chuvas excessivas e proliferação de doenças, "mas ainda é muito cedo para esse tipo de avaliação".

Os técnicos destacaram ainda que o plantio de muitas áreas do chamado Matopiba (Maranhão, Piauí, Tocantins e oeste da Baia) deverão começar apenas em janeiro "quando as precipitações pluviométricas deverão se normalizar".

A companhia elevou ligeiramente sua previsão de área plantada com soja no país, para 33,23 milhões de hectares, e reduziu a previsão de produtividade nacional para 3,073 kg por hectare, ante 3,087 kg na previsão de dezembro.

Também nesta terça, a consultoria Céleres reduziu sua previsão para a safra de soja do Brasil 2015/16 para 99,8 milhões de toneladas, ante 101,9 milhões da projeção de dezembro, com uma redução nas perspectivas de produtividade no Centro-Oeste e no Nordeste superando uma melhora no rendimento das lavouras do Sul.

MILHO

Para a safra nacional de milho 2015/16, a estimativa subiu para 82,33 milhões de toneladas, ante 82,04 milhões da estimativa anterior. A Conab elevou sua previsão da primeira safra para 27,77 milhões de toneladas, ante 27,48 milhões em dezembro, e manteve do volume previsto na segunda safra, de 54,56 milhões de toneladas.

"O momento é de apreensão por parte dos produtores em relação à instabilidade climática, que atrasou o plantio da soja e a sua possível repercussão no plantio do milho segunda safra", destacou a Conab.

A companhia ainda mantém para 2016, como previsão de área plantada com o chamado milho "safrinha", o mesmo número de 2015, de 9,55 milhões de hectares.

(Por Gustavo Bonato)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos