Ministro alemão diz que deportações irão aumentar após ataques em Colônia

BERLIM (Reuters) - O ministro da Justiça da Alemanha, Heiko Maas, disse nesta quarta-feira que mais criminosos estrangeiros serão expulsos do país assim que novas restrições forem impostas, na sequência de agressões sexuais contra mulheres atribuídas a imigrantes em Colônia.

Maas e o ministro do Interior, Thomas de Maiziere, definiram planos na terça-feira para acelerar a deportação de estrangeiros que cometeram agressões físicas ou sexuais, resistiram a ações policiais ou danificaram propriedades - crimes que em maioria recebem sentenças probatórias, mas não geram expulsão, sob a lei atual.

"Certamente vai haver mais pedidos de deportação como resultado das mudanças da lei, porque estávamos diminuindo os requisitos para uma deportação", disse Maas à rede alemã ARD.

A Alemanha ainda não irá deportar pessoas que vieram de países onde há guerra ou onde enfrentam pena de morte ou tortura, acrescentou.

Mais de 600 mulheres se denunciaram agressões no Ano Novo em Colônia e outras cidades da Alemanha. As queixas variam de abuso sexual a roubos, e a polícia informou que as investigações estão focadas em imigrantes ilegais do norte africano, assim como pessoas que buscam asilo.

O governo alemão ainda precisa apoiar os planos propostos de deportação antes de um projeto de lei ser enviado à câmara baixa do Parlamento.

(Reportagem de Michelle Martin)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos