Parlamento espanhol se reúne sem novo governo à vista

  • POOL

Por Blanca Rodríguez

MADRI (Reuters) - A Câmara dos Deputados espanhola voltou a se reunir nesta quarta-feira pela primeira vez desde uma eleição inconclusiva no mês passado, com divergências entre os partidos políticos sobre a formação de um governo.

O fracasso em fazer avançar a formação de uma coalizão antes de os parlamentares assumirem seus assentos sugere novamente que o impasse pode durar semanas, com a possibilidade de uma nova eleição.

Os partidos concordaram em nomear um parlamentar socialista como presidente da Câmara, embora a forma como o acordo foi fechado sinalize mais divisões do que aproximações políticas.

Mas há expectativas de mudanças, depois que a eleição de 20 de dezembro rompeu o molde da política espanhola das últimas quatro décadas, desde a restauração da democracia, ao trazer dois novos partidos –o de esquerda Podemos e o liberal Ciudadanos– ao Parlamento.

“A política neste país já mudou, agora, nós temos que mudar as instituições”, disse o líder socialista, Pedro Sánchez, ao abrir a sessão. Em um tuíte, o líder do Ciudadanos, Albert Rivera, chamou esse ato de “uma segunda transição”.

Seus comentários refletiram o sentimento de que a primeira transição da Espanha após a morte do ditador Francisco Franco, em 1975, agora é história e que o país precisa de uma nova geração de líderes.

Na eleição, o conservador Partido Popular (PP), no poder pelos últimos quatro anos, ganhou grande parte dos assentos, mas não a maioria. Os socialistas (PSOE) ficaram em segundo lugar, mas perderam muito de seu apoio para o terceiro colocado Podemos, que surgiu em resposta às duras medidas de austeridade do governo.

O resultado refletiu o descontentamento generalizado na Espanha, mesmo com o país deixando para trás sua longa recessão com um crescimento de 3,3 por cento em 2015 e outros 3 por cento previstos para este ano. Um período de instabilidade política poderia abalar essa recuperação.

As difíceis negociações no Parlamento também são complicadas pelo futuro da Catalunha, cuja assembleia regional agora é controlada por uma coalizão separatista.

(Reportagem adicional de Julien Toyer)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos