Serra Leoa confirma caso de Ebola e 27 pessoas possivelmente expostas ao vírus

Por Umaru Fofana

FREETOWN (Reuters) - Uma mulher que morreu vítima de Ebola nesta semana em Serra Leoa possivelmente expôs ao menos 27 outras pessoas à doença, afirmou nesta sexta-feira uma agência de ajuda humanitária, aumentando o risco de mais casos justamente quando a epidemia mais letal já registrada parecia estar acabando.

Um dia antes, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou que “todas as cadeias de transmissão foram interrompidas na África Ocidental”, significando que a região estava oficialmente livre da doença após uma epidemia de dois anos que matou mais de 11.300 pessoas.

Mas a OMS alertou para uma possível reincidência, já que sobreviventes carregam o vírus por meses. O novo caso em Serra Leoa é especialmente inquietante porque as autoridades falharam em seguir os protocolos básicos de saúde, de acordo com o relatório visto pela Reuters. Ele foi compilado por uma agência humanitária que pediu para não ser identificada.

A vítima, uma mulher de 22 anos chamada Mariatu Jalloh, começou a ter os sintomas no início do ano, mas a data exata é incerta, afirma o relatório. Estudante em Port Loko, a maior cidade de Serra Leoa, na província do Norte, Jalloh viajou para Baomoi Luma, perto da fronteira com a Guiné no final de dezembro.

A área de fronteira no norte de Serra Leoa, composta por um labirinto de canais, foi um dos últimos pontos considerados livres de Ebola, em 7 de novembro, e o contato para identificação da doença foi, por muitas vezes, prejudicado por dificuldade de acesso.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos