Filha de Martin Luther King diz que sonho do pai ainda não foi realizado

Por Rich McKay

ATLANTA (Reuters) - O sonho de igualdade civil e racial do reverendo Martin Luther King Jr. ainda tem que ser realizado e só dará frutos por intermédio da luta contínua, disse a filha do líder da luta pelos direitos civis nesta segunda-feira, no feriado norte-americano que homenageia King.

Bernice King disse à plateia na Igreja Batista de Ebenezer, onde o pai dela pregara, que negros enfrentam a erosão do direito de voto, a injustiça ambiental e o aumento das mortes por armas de fogo.

“O que o meu pai diria?”, indagou ela, que era frequentemente interrompida pelo aplauso ensurdecedor. “Ele diria: ‘O que está fazendo todos vocês demorarem tanto?’.”

Ela completou: “Agora é o momento de ser resistente, agora é o momento de ser determinado”.   

A fala dela foi uma entre os muitos discursos, tributos, shows e paradas marcando o trigésimo aniversário do feriado norte-americano comemorando o líder dos direitos civis. King, ganhador do Nobel da Paz, foi assassinado por um supremacista branco em 1968.

No mesmo que dia que se comemora o feriado que homenageia King, o cineasta Spike Lee e a atriz Jada Pinkett Smith, ambos negros, anunciaram que vão boicotar a entrega do Oscar no mês que vem, porque atores negros não haviam sido incluídos entre os indicados pelo segundo ano consecutivo.

(Reportagem adicional de Harriet McLeod em Charleston, Carolina do Sul, Kim Palmer em Cleveland e Ian Simpson em Washington)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos