Justiça autoriza Dilma a depor como testemunha em processo ligado a Zelotes

(Reuters) - A Justiça Federal de Brasília autorizou que a presidente Dilma Rousseff preste depoimento como testemunha em um processo ligado à operação Zelotes, que investiga irregularidades no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf) e suspeitas de compras de medidas provisórias no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal Federal da 1ª Região, Dilma foi arrolada como testemunha de Eduardo Valadão, um dos réus em processos ligados à Zelotes.

O tribunal deve enviar ainda nesta quarta-feira um ofício à presidente, que poderá escolher prestar seu depoimento pessoalmente ou por escrito, de acordo com a assessoria de imprensa da corte.

Na mira da Zelotes estão as medidas provisórias 471, de 2009, e 512, de 2010, editadas no governo Lula e que concederam benefícios tributários ao setor automotivo. Dilma foi ministra da Casa Civil de Lula entre 2005 e 2010.

Em depoimento à Polícia Federal neste mês na condição de testemunha, Lula negou irregularidades e disse que as duas MPs geraram empregos de qualidade principalmente na região Nordeste e no Estado do Amazonas.

(Reportagem de Caroline Stauffer)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos