Presidente do Equador se diz cansado de pressionar Opep por corte na produção

QUITO (Reuters) - O presidente do Equador, Rafael Correa, disse nesta quarta-feira que o seu governo está “cansado” de pressionar a Opep para diminuir a produção e que o país continuará a trabalhar como se o bloco do petróleo “não existisse”.

Correa, líder do menor país da Organização dos Países Exportadores de Petróleo, tem há muito insistido em um corte na produção para aumentar os preços da commodity. No entanto, tais pedidos têm sido ignorados pelos membros maiores da Opep.

“Com um pequeno corte na produção, o preço poderia subir bastante”, disse Correa à imprensa. “Por que eles não cortam? Estou cansado de insistir.”

A Venezuela, aliado regional, pediu à Opep a realização de uma reunião de emergência para discutir medidas para sustentar os preços do petróleo, mas representantes disseram que era improvável que isso ocorresse.

Os preços do petróleo caíram para menos de 28 dólares o barril, o menor valor desde 2003, em meio a uma sobreoferta que pode piorar neste ano após a suspensão de sanções contra o Irã.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos