Venezuela precisa de ajuda no abastecimento de remédios, diz associação farmacêutica

CARACAS (Reuters) - Com vários remédios disponíveis em quantidade reduzida devido aos sérios problemas financeiros, a Venezuela está sofrendo “uma crise humanitária” e requer ajuda internacional rápida, de acordo com uma importante associação farmacêutica.

A Federação Farmacêutica Venezuelana listou 150 medicamentos, de remédios para a hipertensão ao câncer, além de produtos básicos como profiláticos e antibióticos, que estão em falta no país de 29 milhões de pessoas.

“O governo nacional precisa aceitar que estamos numa crise humanitária no setor de saúde, com pacientes morrendo no nosso território por falta de remédios”, disse o presidente da associação, Freddy Ceballos, em comunicado.

“É necessário ativar todos os mecanismos de ajuda internacional para a saúde para resolver essa crise o quanto antes”, acrescentou ele, sem especificar que ajuda deveria ser buscada.

O Ministério da Saúde não respondeu ao pedido para comentar o comunicado, mas o governo socialista da Venezuela tem reagido com irritação a críticas contra o sistema de saúde, no qual o ex-presidente Hugo Chávez, que morreu de câncer em 2013, muito gastou num período de altos dividendos com o petróleo.

(Reportagem de Girish Gupta)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos