Arábia Saudita ainda quer trabalhar com produtores de petróleo, diz chairman da Aramco

LONDRES (Reuters) - A Arábia Saudita, maior exportadora de petróleo do mundo, ainda quer trabalhar com outros países produtores para reequilibrar o mercado, disse o presidente do conselho da estatal de petróleo do país, Aramco, nesta quinta-feira.

Ao falar em uma sessão televisionada do Fórum Econômico Mundial, encontro anual em Davos, Khalid al-Falih disse acreditar que os preços do petróleo caíram demais e podem começar a se recuperar.

"Se houver ajustes de curto prazo que precisam ser feitos, e se outros produtores quiserem colaborar, a Arábia Saudita também vai querer colaborar", disse ele.

"Mas a Arábia Saudita não vai aceitar o papel de sozinha equilibrar o mercado que vive hoje um desequilíbrio estrutural."

Os preços do petróleo provavelmente estarão mais altos no fim do ano do que agora, disse ele.

"Eu sinto que o mercado pesou demais o lado baixista e que é inevitável o início de uma alta. Eu apostaria que (o preço) ficará mais alto (ao fim do ano) do que está hoje", disse.

"Se os preços continuarem a ser baixos, nós seremos capazes de aguentar isso por um longo, longo período".

(Por Alex Lawler)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos