Dinamarca aprova lei que confisca bens para conter entrada de refugiados

Por Alexander Tange

COPENHAGUE (Reuters) - O Parlamento da Dinamarca aprovou nesta terça-feira medidas que visam dissuadir os refugiados de buscar asilo, incluindo o confisco de pertences para pagar por sua estadia, apesar dos protestos de organizações internacionais de direitos humanos.

As medidas são o mais recente sinal de que a recepção de refugiados no país nórdico está diminuindo à medida que um grande número de pessoas foge de guerras na África e Oriente Médio em busca de uma vida melhor na Europa.

A "fatura de jóias" é uma tentativa do governo de centro-direita da Dinamarca de conter a imigração para um país que contabilizou um registro de 20.000 refugiados no ano passado.

Segundo o projeto, os refugiados podem manter bens no valor de 10.000 coroas dinamarquesas (1.450 dólares). Objetos de valor emocional especial, tais como anéis de casamento, serão isentos.

A Dinamarca não é o único país nórdico tentando fechar as suas portas aos migrantes. A Suécia, que recebeu mais de 160 mil refugiados no ano passado, introduziu controles em sua fronteira com a Dinamarca, no início do ano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos