Ataques sauditas contra civis no Iêmen podem ser crimes contra a humanidade, diz ONU

Por Michelle Nichols

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - Uma coalizão liderada pelos sauditas lutando no vizinho Iêmen atacou civis com bombardeios aéreos, e algumas das ações podem ser crimes contra a humanidade, disseram monitores das Nações Unidas num relatório anual para o Conselho de Segurança.

O relatório do painel das Nações Unidas que monitora o conflito no Iêmen para o Conselho de Segurança, visto pela Reuters nesta quarta-feira, provocou reivindicações de grupos de defesa de direitos para que os Estados Unidos e o Reino Unido suspendam a venda de armas para a Arábia Saudita que possam ser usadas nesses ataques.

O painel de especialistas documentou 119 ações da coalizão relacionadas a “violações de leis humanitárias internacionais” e disse que “muitos ataques envolveram ações aéreas múltiplas contra objetos civis múltiplos”.

Os especialistas afirmaram que todas as partes no conflito no Iêmen estão violando leis humanitárias internacionais. Eles disseram que em certos casos as violações pela coalizão foram conduzidas de uma “maneira ampla e sistêmica” e, dessa forma, podiam ser consideradas crimes contra a humanidade.

Os especialistas das Nações Unidas recomendaram que o Conselho de Segurança avalie a criação de uma comissão de inquérito para investigar as violações.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos