Portugal registra cinco casos sem gravidade de Zika, todos após viagens ao Brasil

LISBOA (Reuters) - Cinco pessoas em Portugal testaram positivo para o Zika vírus após terem viajado recentemente para o Brasil, mas nenhuma precisou de internação hospitalar, informou o Instituto Nacional de Saúde do país (Insa).

"Até agora temos cinco casos confirmados, todos importados do Brasil. Essas pessoas não foram hospitalizadas e não precisam de atenção médica extra, pois esses são casos sem gravidade", disse um porta-voz do instituto. O Insa é responsável por todos os exames epidemiológicos em Portugal.

O Zika vírus é espalhado pelo mosquito Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue e a chikungunya. Não há uma vacina ou um tratamento para combater o vírus, parente próximo da dengue, que geralmente causa uma febre amena e coceira.

O Zika tem sido relacionado a casos de microcefalia em recém-nascidos no Brasil. Estima-se que 80 por cento das pessoas infectadas não apresentem sintomas, o que torna difícil para que mulheres grávidas saibam se foram ou não infectadas.

A área continental de Portugal não tem nenhum caso de vírus contraído localmente e transmitido pelo Aedes aegypti, mas houve um surto de dengue na Ilha da Madeira, um território português, em 2012, a primeira epidemia de dengue na Europa desde a década de 1920.

Casos de Zika foram registrados na Dinamarca e na Grã-Bretanha e especialistas em saúde afirmam que esses casos são esperados na Europa, dada a escala do surto da doença na América do Sul e a frequência das viagens internacionais.

(Reportagem de Andrei Khalip)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos