Estado Islâmico assume atentado com carro-bomba que deixou 6 mortos em Áden

ÁDEN (Reuters) - Militantes do Estado Islâmico assumiram a responsabilidade por um atentado suicida com carro-bomba que deixou seis mortos nas cercanias da residência do presidente do Iêmen, Abd-Rabbu Mansour Rabbu Hadi, na cidade de Áden, no sul iemenita, nesta quinta-feira.

Autoridades disseram que Hadi estava dentro de sua residência no Palácio Maashiqa no momento do ataque, mas não foi ferido.

"Um carro foi confrontado ao tentar burlar a segurança externa... e (a segurança externa) evitou de deixá-lo passar ao abrir fogo e detoná-lo", informou o governo em comunicado.

De acordo com o comunicado, seis pessoas foram mortas. Entre elas, cinco eram membros da segurança do palácio e uma civil.

Esse foi o mais recente ataque de uma série de ações levadas a cabo por militantes islâmicos contra o governo iemenita e alvos de segurança.

Em uma declaração publicada na Internet, o Estado Islâmico afirmou que o atentado foi realizado por um suicida que identificou como Abu Hanifa al-Hollandi. O pseudônimo dá a entender que o agressor era um cidadão holandês.

(Reportagem de Mohammed Mukhashaf, Mohammed Ghobari, Hadeel Al Sayegh e Lin Noueihed)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos