EUA vão retirar de circulação e-mails de Hillary Clinton com informações confidenciais

WASHINGTON (Reuters) - Sete conversas particulares de e-mail da ex-secretária de Estado norte-americana Hillary Clinton serão retiradas de circulação pública porque se descobriu que eles contêm informações confidenciais, disse o Departamento de Estado nesta sexta-feira.

“O Departamento de Estado vai negar por completo sete conversas por e-mail achadas em 22 documentos representando 37 páginas”, disse John Kirby, porta-voz do Departamento de Estado.

“Os documentos estão sendo convertidos a pedido da comunidade de inteligência porque eles contêm uma categoria de informação confidencial. Esses documentos não foram marcados como confidenciais quando eles foram enviados.”

A polêmica sobre o uso de um servidor privado de e-mail por Hillary Clinton na sua casa em Nova York para o trabalho dela como secretária de Estado entre 2009 e 2013 tem prejudicado a sua campanha a presidente.

A três dias das prévias de Iowa, quando os primeiros votos serão recolhidos para a escolha dos candidatos democrata e republicano a presidente, o anúncio vai provavelmente reacender as críticas dos seus adversários republicanos de que ela deixou segredos altamente sensíveis do governo vulneráveis a hackers.

O governo proíbe o trabalho com informação confidencial fora dos seus canais controlados.

(Por Arshad Mohammed e Jonathan Allen)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos