Secretário-geral da ONU pede que líderes africanos não "se agarrem ao poder"

Por Edmund Blair e Aaron Maasho

ADIS-ABEBA (Reuters) - O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, afirmou aos chefes de Estado africanos neste sábado que eles não devem usar brechas legais ou mudanças constitucionais antidemocráticas para "se agarrarem ao poder", e lembrou que eles devem respeitar o término de seus mandatos.

Ban discursou durante a reunião de cúpula da União Africana, um grupo de 54 países dos quais muitos são comandados há décadas pelo mesmo governante. Alguns deles chegaram a mudar a Constituição para permanecer no cargo e outros são acusados de tentar remover os limites para o próprio mandato.

O debate sobre o fim do mandato tem chamado atenção depois que países como Burundi e o Congo vivenciaram turbulências recentes neste sentido.

"Os líderes não devem jamais usar mudanças constitucionais antidemocráticas e brechas legais para se agarrar ao poder. Nós todos já vimos as consequências trágicas quando esse tipo de coisa é feita", disse Ban aos presidentes africanos, entre eles o veterano chefe de Estado do Zimbábue Robert Mugabe.

Ban fez coro às declarações do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, no mesmo auditório da União Africana durante viagem à Etiópia em julho.

Mugabe, que completa 91 anos em fevereiro e é o único presidente que os zimbabuanos conhecem desde 1980, fez uma de suas costumeiras críticas às potências ocidentais, que ele acusa de ainda nutrirem ambições colonialistas e de monopolizarem o poder na ONU. "Devemos continuar permitindo que esse grupo nos assedie, mesmo em nossos países independentes?", afirmou Mugabe após discurso de Ban.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos