Austrália relata dois casos de Zika vírus e detecta mosquitos em aeroporto de Sydney

Por Jane Wardell

SYDNEY (Reuters) - Dois australianos foram diagnosticados com Zika vírus após voltarem ao país de viagens ao Caribe, informou o serviço estatal de saúde nesta terça-feira, confirmando os primeiros casos do vírus neste ano no país.

Autoridades também disseram que mosquitos portadores do vírus foram detectados no Aeroporto Internacional de Sydney, mas destacaram que é pouco provável que o vírus iria estabelecer transmissões locais, dada a inexistência de grandes números de mosquitos Aedes Aegypti.

A confirmação dos casos australianos ocorreu um dia após a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarar que o Zika vírus é uma emergência internacional de saúde pública por conta da relação com a má-formação cerebral em alguns bebês. Não há vacina ou tratamento contra o vírus.

O departamento de saúde de Nova Gales do Sul informou que os dois moradores de Sydney foram diagnosticados com Zika vírus na sexta-feira após viajarem do Haiti para Austrália.

Diagnósticos formais podem levar diversas semanas e o departamento não informou quando os australianos foram testados.

"É pouco provável que o Zika vírus irá estabelecer transmissões locais em Nova Gales do Sul, à medida que mosquitos que transmitem a infecção não são estabelecidos aqui --embora tenham sido encontrados em algumas partes ao norte de Queensland", disse em comunicado Vicky Sheppeard, diretora de doenças transmissíveis no departamento de saúde de Nova Gales do Sul.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos