Universidade da Austrália e laboratório Sementis trabalham em vacina para o Zika

(Reuters) - A Universidade do Sul da Austrália informou nesta terça-feira que está trabalhando em uma vacina para o Zika vírus com a empresa de biotecnologia também australiana Sementis Ltd um dia depois de a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarar a doença, que é transmitida por mosquitos, uma emergência de saúde pública mundial.

A farmacêutica Sanofi também afirmou nesta terça-feira que iniciou um projeto para desenvolver uma vacina de combate ao vírus.

Até agora, coube a pequenas companhias de biotecnologia e universidades a iniciativa de criar uma vacina, embora o laboratório britânico GlaxoSmithKline tenha dito que está estudando a possibilidade de usar sua tecnologia de vacinas contra a moléstia.

O Zika vírus, que é primo próximo da vírus dengue e o da febre chikungunya, causa febre moderada e erupção cutânea. Estimadas 80 por cento das pessoas infectadas não exibem sintomas, o que torna difícil para as grávidas saberem se foram contaminadas.

A Universidade da Austrália e a Sementis já desenvolveram uma vacina contra o chikungunya que está passando por testes clínicos no momento. (http://bit.ly/1PcM2Sr)

(Por Ankur Banerjee em Bangalore)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos