Governo quer avançar com votação de medidas do ajuste na Câmara nesta 4ª; oposição promete obstruir

  • UESLEI MARCELINO

BRASÍLIA (Reuters) - O governo negocia para votar na Câmara dos Deputados três medidas provisórias ainda nesta quarta-feira, incluindo a proposta que eleva a tributação sobre ganhos de capital, afirmou o líder governista, deputado José Guimarães (PT-CE).

Apesar da disposição dos governo, a oposição promete obstruir a discussão.

Também aguardam votação no plenário da Câmara uma MP que reduz o número de ministérios e outra que autoriza o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal a adquirirem participação em outras instituições financeiras até 2018.

“Vamos fazer um esforço concentrado para hoje votarmos as três MPs, claro que vai depender do quórum”, disse o líder do governo na Casa.

“São as duas últimas MPs do ajuste, do esforço fiscal de 2015”, afirmou Guimarães, acrescentando que a ideia é seguir as votações desta quarta “noite adentro”.

Segundo o líder, a MP 692, que eleva gradualmente a cobrança do Imposto de Renda da Pessoa Física sobre o ganho de capital é prioritária e tem impacto de 1,8 bilhões ao ano.

Para o líder é essencial votar essas medidas ainda nesta quarta, uma vez que na quinta-feira não haverá sessão e na próxima semana o Congresso sofre esvaziamento por causa do Carnaval.

Guimarães pretende procurar a oposição para negociar, principalmente o DEM, autor de uma das emendas que alteram o mérito da medida.

Já a oposição argumenta que as MPs não atendem ao interesse do país.

“Vamos obstruir”, informou o novo líder do DEM, deputado Pauderney Avelino (DEM-AM). “Só podemos dialogar quando o governo apresentar propostas factíveis e unificar sua base.”

(Por Maria Carolina Marcello)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos