UE cria fundo para Turquia reduzir fluxo de imigrantes

Por Gabriela Baczynska

BRUXELAS (Reuters) - Os países da União Europeia (UE) aprovaram nesta quarta-feira um fundo de 3 bilhões de euros para a Turquia melhorar as condições de vida dos refugiados no país, e, em troca, Ancara vai assegurar que menos desses imigrantes sigam para a Europa.

A UE está contando com o acordo para reduzir o número de pessoas que chegam à Europa para pedir asilo, depois que mais de um milhão rumaram para o continente em 2015, principalmente pelo mar, saindo da Turquia, com os dados neste ano até agora mostrando poucos sinais de que o fluxo esteja diminuindo.

Todos os 28 países da UE assinaram a proposta numa reunião em Bruxelas depois que a Itália retirou a sua oposição ao plano, que foi primeiro acordado com Ancara em novembro.

A Comissão Europeia, órgão executivo do bloco, celebrou a decisão sobre a Turquia, que atualmente abriga um número estimado de 2,5 milhões de refugiados da guerra civil na vizinha Síria.

"A Turquia hoje abriga uma das maiores comunidades de refugiados do mundo e se comprometeu a reduzir significativamente o número de migrantes cruzando para a UE”, afirmou Johannes Hahn, comissário responsável pelas políticas relacionadas aos vizinhos do bloco.

"O Fundo para Refugiados na Turquia irá direto para os refugiados, proporcionando educação, saúde e comida. A melhoria das condições de vida e a oferta de uma perspectiva positiva vão permitir que os refugiados fiquem mais perto da sua casa.”

O primeiro-ministro da Holanda, Mark Rutte, atualmente na presidência rotativa da UE, afirmou que a cooperação com a Turquia na crise migratória também deve focar nos traficantes de pessoas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos