Juiz rejeita denúncia contra Neymar por sonegação fiscal e falsidade ideológica

SÃO PAULO (Reuters) - O juiz Mateus Castelo Branco Firmino da Silva, da Justiça Federal de São Paulo, rejeitou nesta quinta-feira denúncia do Ministério Público Federal em Santos contra o jogador Neymar e o pai dele, Neymar da Silva Santos, por sonegação de impostos e falsidade ideológica.

O magistrado argumentou que ainda não há definição no campo administrativo sobre as suspostas irregularidades tributárias, por isso rejeitou a denúncia.

"É entendimento consolidado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) não ser possível o oferecimento da denúncia, nos casos de crimes contra a ordem tributária, antes da decisão definitiva no âmbito administrativo", disse o juiz em sua decisão.

Além de Neymar e do pai dele, o MPF denunciou na ação os ex-presidentes do Barcelona Alexandre Rosell Feliu e Josep Maria Bartomeu Floresta.

De acordo com a denúncia do MPF em Santos, "a conduta de Neymar, com a participação dos demais denunciados, gerou prejuízos milionários aos cofres públicos". [nL2N15H36R]

O pai do jogador foi apontado pelo MPF como o "principal mentor e articulador de uma série de fraudes contratuais para o uso do direito de imagem de Neymar", entre 2006 e 2013, envolvendo três empresas ligadas à família do atacante.

Em janeiro, um juiz federal de São Paulo decidiu que o atacante Neymar e o pai dele têm de pagar quase 460 mil reais à Receita Federal devido à omissão de rendimentos em declarações do Imposto de Renda nos anos de 2007 e 2008, quando o jogador defendia o Santos.

(Reportagem de Tatiana Ramil)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos