PF investiga se Lula participou de compra de MPs, diz delegado à Justiça

SÃO PAULO (Reuters) - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é um dos alvos de inquérito policial que investiga o suposto envolvimento dele em um esquema de venda de medidas provisórias apurado pela Operação Zelotes, disse o delegado da Polícia Federal Marlon Oliveira Cajado dos Santos, em ofício enviado à Justiça Federal do Distrito Federal.

No ofício, o delegado diz que Lula, assim como outros ex-agentes públicos, como os ministros Miguel Jorge, Erenice Guerra e Gilberto Carvalho, são alvo de inquérito para apurar se eles "foram de fato corrompidos e estariam associados a essa organização criminosa" ou se o grupo suspeito de comprar MPs estaria "vitimando" esses agentes e praticando tráfico de influência em relação a eles.

A Zelotes, que originalmente investigava irregularidades no Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), passou a investigar também suspeitas de compra de medidas provisórias durante o governo Lula para beneficiar o setor automotivo.

Estão na mira da PF as MPs 471, de 2009, que prorrogou incentivos à indústria automotiva, e 512, de 2010, que estendeu esses incentivos a novos projetos do setor.

No início do mês passado, Lula prestou depoimento à PF no âmbito da Zelotes e, na ocasião, o Instituto Lula informou que o ex-presidente afirmou que as duas MPs geraram "dezenas de milhares de empregos" e negou irregularidades na edição das medidas.

(Reportagem de Eduardo Simões)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos