EUA e aliados pretendem monitorar lançamento de foguete da Coreia do Norte

SEUL/ TÓQUIO (Reuters) - Os Estados Unidos mobilizaram sistemas de defesa de mísseis que irão atuar em conjunto com militares do Japão e da Coreia do Sul no monitoramento de um foguete que a Coreia do Norte prometeu lançar em um prazo de 18 dias a partir da próxima segunda-feira.

Pyongyang notificou agências da Organização das Nações Unidas (ONU) que irá lançar o que chamou de satélite de observação terrestre em algum momento entre os dias 8 e 25 de fevereiro, desencadeando repúdio de alguns governos estrangeiros que o veem como um teste de míssil de longo alcance.

A Coreia do Norte declarou ter o direito soberano de desenvolver um programa espacial, mas resoluções do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) proíbem a nação de usar tecnologia de mísseis balísticos.

Anunciado tão pouco tempo depois do quarto teste nuclear do recluso país comunista, realizado em 6 de janeiro, e também vetado pelas resoluções da ONU, um lançamento de foguete irá despertar temores de que os norte-coreanos planejam instalar ogivas em seus mísseis, o que os tornaria capazes de alvejar o Japão, a Coreia do Sul e possivelmente a Costa Oeste norte-americana.

A China disse à Coreia do Norte que não ver nada que possa aumentar ainda mais a tensão, segundo o chanceler chinês, Wang Yi. Os chineses são o único grande aliado de Pyongyang, mas desaprovam seu programa nuclear. Os EUA exortaram Pequim a usarem sua influência para refrear seu vizinho.

(Por Jack Kim e Tim Kelly)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos