Polícia egípcia mata quatro suspeitos de militância islâmica perto do Cairo

CAIRO (Reuters) - A polícia egípcia matou a tiros quatro suspeitos de serem militantes islâmicos, dentro de uma casa a poucos quilômetros do centro de Cairo, disse o Ministério do Interior neste domingo, o terceiro incidente do tipo nas últimas semanas.

O Ministério disse que os homens pertenciam ao Ajnad Misr, um grupo que emergiu em janeiro de 2014 e que tem tido como alvo forças de segurança dentro e fora do Cairo. 

Os suspeitos abriram fogo primeiro, disse o Ministério. Os homens eram suspeitos na morte de dois policiais, um soldado e um civil, e também eram procurados por explodir um veículo policial e bombardear um ponto de segurança. 

O Egito está combatendo uma insurgência islâmica no Sinai que ganhou força em meados de 2013, quando os militares depuseram o presidente Mohamed Mursi, da Irmandade Muçulmana, após grandes protestos contra seu governo. Centenas de soldados e policiais foram mortos desde então. 

A Irmandade diz ser um movimento pacífico, mas forças de segurança do Egito não fazem diferenciações entre esse grupo e outros como Ajnad Misr e o Estado Islâmico.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos