Eleição presidencial de Mianmar fica para março e ameaça prorrogar impasse político

NAYPYITAW/YANGON, Mianmar, (Reuters) - O parlamento de Mianmar irá iniciar a eleição de um novo presidente em 17 de março, bem próximo do prazo do dia 1º de abril, dando a entender que as conversas entre o partido vitorioso de Aung San Suu Kyi e os militares devem levar mais tempo do que o planejado.

Nesta segunda-feira, entretanto, um importante legislador militar negou que a Liga Nacional para a Democracia (NLD, na sigla em inglês) da Prêmio Nobel da Paz Aung San e as Forças Armadas estejam debatendo provisões para alterar a constituição de maneira a permitir que a ativista democrática se torne a nova presidente do país.

Membros veteranos do NLD haviam declarado à mídia que iriam realizar eleições presidenciais em fevereiro, mas nesta segunda-feira o parlamento decidiu que o processo terá início duas semanas antes da data programada para a posse do novo governo, no início de abril.

"Anuncio que os encontros dos três colégios eleitorais presidenciais serão efetivados em 17 de março", declarou o vice-presidente da Câmara, Mahn Win Khaing Than.

O NLD obteve uma vitória histórica na votação de 8 de novembro, conquistando cerca de 80 por cento dos assentos em disputa no parlamento – o suficiente para impor um presidente.

O resultado desencadeou um longo processo de transição durante o qual os militares e a legenda se reuniram a portas fechadas para negociar, muito provavelmente a respeito do formato do novo governo e da transferência de poder, mas os detalhes das conversas não estão claros.

"Não há discussão entre os militares e o NLD sobre o Artigo 59 (f)", disse o general de brigada Tin San Naing, porta-voz da delegação militar no parlamento, à Reuters nesta segunda-feira.

Acredita-se que o artigo, que proíbe que qualquer pessoa que tenha cônjuge ou filhos estrangeiros assuma a presidência, tem como alvo Aung San, cujos filhos são britânicos.

O artigo poderia ser alterado com aprovação do Exército, acrescentou Tin San Naing.

(Por Hnin Yadana Zaw e Aung Hla Tun)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos