Governo da Ucrânia sobrevive a voto de não confiança

KIEV (Reuters) - O governo da Ucrânia, que é apoiado pelo Ocidente, sobreviveu a um voto de não confiança nesta terça-feira, evitando a perspectiva imediata de uma eleição súbita num país que enfrenta uma grave recessão e uma insurgência separatista pró-Rússia.

A votação ocorreu apenas horas depois de o presidente Petro Poroshenko pedir publicamente para que o primeiro-ministro renunciasse, uma iniciativa que mostra o grau das disputas internas, o que tem prejudicado os esforços para implementar reformas.

Os apoiadores internacionais da Ucrânia têm investido muito dinheiro e capital político para apoiar o governo no seu impasse com Moscou, depois de a Rússia ter anexado a Crimeia em 2014, após as manifestações em Kiev que derrubaram o então presidente pró-Rússia.

No entanto, o fracasso da ex-república soviética no combate à corrupção e na implementação de reformas já atrapalhou um programa de ajuda econômica ocidental, e um cessar-fogo com os separatistas no leste está ruindo.

O fato de que o voto de não confiança tenha por si só ocorrido indica a crescente desilusão da população com os líderes eleitos depois da revolta de 2013 e 2014, que criou a esperança de uma transformação no país.

O governo vai provavelmente estar seguro até pelo menos a próxima legislatura começar em setembro.

(Por Pavel Polityuk e Natalia Zinets)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos