Chefe de polícia da Colômbia renuncia por suposto envolvimento com prostituição masculina

BOGOTÁ (Reuters) - O diretor da Polícia Nacional da Colômbia, Rodolfo Palomino, renunciou nesta quarta-feira, um dia depois de o investigador-geral anunciar uma investigação para saber se ele está envolvido na formação de um esquema de prostituição masculina que supostamente atendia parlamentares.

Palomino também está sendo investigado pela suspeita de enriquecimento ilícito e por usar escutas ilegais em telefones de jornalistas. Agentes da polícia já o haviam acusado de lhes propor sexo, o que ele nega.

Em um comunicado que leu em voz alta em Bogotá, Palomino declarou que irá apresentar sua renúncia ao presidente colombiano, Juan Manuel Santos, "com o conhecimento absoluto de minha inocência nas acusações que foram feitas contra mim".

Santos nomeou o general Jorge Nieto como novo chefe da força policial.

O investigador-geral Alejandro Ordóñez, cujo papel é analisar atos de má-conduta de autoridades públicas, anunciou o inquérito na terça-feira. O esquema de prostituição teria funcionado entre 2004 e 2008.

Palomino classificou as alegações como "irresponsáveis" e que tem como objetivo desacreditar a polícia.

    (Por Helen Murphy)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos