EUA propõem aumento drástico das sanções contra a Coreia do Norte

NAÇÕES UNIDAS (Reuters) - Os Estados Unidos apresentaram um projeto ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas nesta quinta-feira que aumenta de forma drástica as restrições existentes para a Coreia do Norte, depois de o país ter realizado um teste nuclear em 6 de janeiro, e cria o regime de sanções mais duro das Nações Unidas em mais de duas décadas.

O projeto, visto pela Reuters, prevê inspeções obrigatórias pelos membros das Nações Unidas de toda a carga passando pelo seu território vindo ou a caminho da Coreia do Norte, na busca de bens ilícitos. Antes, a exigência era que os países só fizessem isso quando houvesse motivos razoáveis para acreditar que havia carga ilícita.

O texto fecha uma brecha no embargo de armas para Pyongyang, ao banir todas as importações e exportações de armas.

Também haveria uma proibição sem precedentes para enviar à Coreia do Norte qualquer item que pudesse contribuir com a capacidade operacional de suas Forças Armadas, como caminhões que pudessem ser adaptados para fins militares.

Outras medidas propostas incluem uma proibição para todos os suprimentos de combustíveis de aviões e foguetes, uma exigência para que países expulsem diplomatas norte-coreanos envolvidos em atividades ilegais e uma lista negra com 17 indivíduos norte-coreanos e 12 entidades, incluindo a agência aeroespacial, responsável pelo lançamento de um foguete em fevereiro.

(Por Louis Charbonneau e Michelle Nichols)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos