Papa diz que Igreja não quer "dinheiro sujo" de empresários inescrupulosos

  • ALESSANDRO BIANCHI

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - A Igreja Católica não quer que as pessoas doem "dinheiro sujo" obtido através do abuso de trabalhadores mal remunerados, disse o papa Francisco nesta quarta-feira.

"Alguns doadores vêm à igreja oferecendo o lucro do sangue de pessoas que foram exploradas, maltratadas, escravizadas com trabalho mal remunerado", afirmou Francisco durante sua audiência semanal com peregrinos no Vaticano.

    "Direi a eles: 'Por favor, levem seu dinheiro embora, queimem-no'", disse o pontífice, que fez da proteção dos pobres e do saneamento das finanças do Vaticano princípios centrais de seu papado.

    "O povo de Deus... não precisa de dinheiro sujo, precisa de corações que estejam abertos para a misericórdia de Deus", disse.

O papa classificou o dinheiro como "o esterco do diabo" e repudiou os males do capitalismo desenfreado, atraindo críticas de alguns líderes empresariais norte-americanos.

    Francisco fortaleceu os poderes da Autoridade de Inteligência Financeira do Vaticano (AIF), mas no ano passado a Moneyval, a agência reguladora das finanças do Conselho Europeu, disse que a Santa Sé ainda precisa ser muito mais agressiva nos processos de crimes financeiros.

    (Por Isla Binnie)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos