Dilma condena "vazamentos apócrifos" e pede apuração

  • UESLEI MARCELINO

BRASÍLIA (Reuters) - A presidente Dilma Rousseff condenou nesta quinta-feira os "vazamentos apócrifos, seletivos e ilegais", após publicação de trechos da suposta delação premiada do senador Delcídio do Amaral (PT-MS), com denúncias de que a presidente teria tentado interferir na operação Lava Jato.

"Repudiamos, em nome do Estado Democrático de Direito, o uso abusivo de vazamentos como arma política. Esses expedientes não contribuem para a estabilidade do País", disse a presidente em nota.  

O comunicado foi divulgado após ampla repercussão de reportagem da revista IstoÉ com suposta delação premiada do senador e ex-líder do governo no Senado.

"Os vazamentos apócrifos, seletivos e ilegais devem ser repudiados e ter sua origem rigorosamente apurada, já que ferem a lei, a justiça e a verdade", disse a presidente na nota.  

(Reportagem de Lisandra Paraguassu)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos