França diz que deixará imigrantes irem à Grã-Bretanha se Londres sair da UE, diz jornal

EDINBURGO (Reuters) - Se a Grã-Bretanha decidir que quer sair da União Europeia em um referendo marcado para junho, a França irá permitir que imigrantes sigam para o território britânico retirando os controles de fronteiras e estendendo o tapete vermelho para os banqueiros em fuga de Londres, disser o ministro da Economia francês, Emmanuel Macron.

"No dia em que esta relação se desfizer, os imigrantes não ficarão mais em Calais (porto francês de acesso ao Canal da Mancha), e o passaporte financeiro irá funcionar menos bem", afirmou Macron ao jornal Financial Times antes de uma cúpula de segurança anglo-francesa.

Macron acrescentou que também podem ser criados obstáculos para o comércio bilateral, e que um acordo que permite à Grã-Bretanha realizar inspeções nas fronteiras para deter imigrantes indesejados do lado francês do Canal também pode ser desfeito.

Ecoando o convite feito pelo primeiro-ministro britânico, David Cameron, para que empresas francesas se mudassem para seu país quando a França elevou impostos em 2012, Macron disse: "Se eu raciocinasse como aqueles que estendem tapetes vermelhos, diria que podemos ter alguns repatriados da City de Londres (o coração financeiro da capital inglesa)."

     Ele acrescentou que a "energia coletiva (da UE) seria gasta no desmonte dos laços existentes, não na recriação de novos" se os eleitores britânicos rejeitarem a permanência no bloco.

      (Por Elisabeth O'Leary)

((Tradução Redação Rio de Janeiro; +55 21 2223-7148))REUTERS MPP

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos