Seis membros da Irmandade Muçulmana são detidos por morte de promotor egípcio

CAIRO (Reuters) - O Ministério Público do Egito ordenou neste domingo a detenção por 15 dias de seis membros da banida Irmandade Muçulmana acusados de assassinar o promotor Hisham Barakat em junho, fossem detidos por 15 dias, informou a agência de notícias estatal MENA.

"A promotoria acusou os suspeitos de vários crimes incluindo assassinato premeditado do promotor... posse e utilização de explosivos, e adesão a um grupo terrorista", relatou a agência.

Uma fonte da Justiça informou à Reuters mais cedo no domingo sobre as detenções, mas não forneceu detalhes.

(Reportagem de Omar Fahmy)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos