Hillary e Sanders afirmam que podem derrotar Trump

Por John Whitesides

FLINT, Estados Unidos (Reuters) - Os pré-candidatos presidenciais democratas Bernie Sanders e Hillary Clinton discordaram em um debate na noite de domingo sobre quem tem mais chance de derrotar Donald Trump, pré-candidato presidencial republicano favorito nas pesquisas, e debocharam do nível da disputa republicana na corrida pela Casa Branca.

Perto do final de um debate no Estado do Michigan que testemunhou trocas de farpas a respeito do comércio e do resgate financeiro da indústria automobilística dos Estados Unidos, assim como uma longa discussão sobre religião, tanto Hillary quanto Sanders afirmaram que mal podem esperar para enfrentar o bilionário na eleição de 8 de novembro que irá determinar o sucessor do presidente dos EUA, o democrata Barack Obama.

"Acho que a intolerância de Donald Trump, sua truculência, sua fanfarrice não ficarão bem no povo norte-americano", disse Hillary. "Temos que pôr fim às divisões, temos que unificar o país".

Sanders disse que "adoraria" concorrer com Trump e enfatizou que muitas pesquisas de opinião o mostram se saindo melhor contra o ex-apresentador de reality shows do que sua rival. Ele e Hillary exortaram os eleitores a compararem a substância de seu debate com suas versões republicanas, que na semana passada degeneraram em ofensas e tiveram Trump defendendo o tamanho de seu pênis.

"Iremos, se eleito presidente, investir muito dinheiro na saúde mental", afirmou Sanders, e em seguida fez uma piada. "E quando vocês assistem a esses debates republicanos, sabem por que precisamos investir em saúde mental".

Trump diz frequentemente que irá derrotar Hillary ou Sanders. "Sou eu a pessoa contra a qual ela não quer concorrer", disse ele sobre Hillary no sábado.

O debate democrata na cidade de Flint ocorreu no momento em que Sanders está tendo dificuldade para frear a marcha de Hillary rumo à indicação presidencial do partido governista. Mas o senador de Vermont recebeu algumas boas notícias no domingo, já que se projeta uma vitória sua no caucus do Maine.

Hillary, de 68 anos, ex-secretária de Estado e ex-primeira-dama, vem falando em sua campanha sobre a necessidade de mais amor e gentileza, um contraste com a retórica de Trump a respeito de seus planos de deportar 11 milhões de imigrantes ilegais e impedir temporariamente a entrada de muçulmanos no país.

Sanders, de 74 anos e autodenominado socialista democrático, insistiu em sua afirmação de que Hillary é próxima demais de Wall Street e exigiu que ela divulgue a transcrição de palestras pagas que fez a empresas do setor financeiro. Hillary disse que o fará quando todos os candidatos, incluindo os republicanos, divulgarem transcrições de palestras semelhantes.

(Reportagem adicional de Alana Wise, Luciana Lopez e Jonathan Allen)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos