Donald Trump diz que sua equipe de política externa ainda não está pronta

Por Mark Hosenball e Susan Heavey

WASHINGTON (Reuters) - O favorito para se tornar o candidato republicano a presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu nesta terça-feira que ainda não tem uma equipe de política externa, e três antigas autoridades militares e de inteligência que o endossaram são pouco conhecidas no Partido Republicano e na comunidade em geral associada à política externa.

O bilionário de Nova York, que havia prometido indicar os seus assessores em política externa e segurança nacional no mês passado, disse à TV MSNBC que se encontrou com pessoas, mas que ainda não havia tomado decisões sobre quem o aconselharia em assuntos globais.

Perguntado se ele tinha uma equipe, Trump afirmou nesta terça-feira: “Sim, há uma equipe. Bem, não é uma equipe. Eu formarei uma equipe na hora apropriada. Eu tenho me encontrado com muito mais do que três pessoas”.

Trump tem dado pistas do tipo de assessor que ele contrataria para promover a sua política de segurança nacional, que é bastante focada em reprimir o Estado Islâmico. Ele também promete desfazer acordos de comércio global e construir um muro na fronteira mexicana para interromper a imigração ilegal.

Perguntado durante um debate na semana passada em quem ele confiava quando o assunto era segurança nacional, Trump teve palavras simpáticas sobre três homens com visões de mundo que diferem entre elas: o ex-diplomata Richard Haass e dois oficiais militares aposentados, o general Jack Keane e o coronel Jack Jacobs.

Além disso, no mês passado, no site da sua campanha, Trump anunciou que havia recebido apoio na Flórida de dois “importantes especialistas em segurança nacional”.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos