Obama não vai se encontrar com Fidel Castro em Havana, diz Casa Branca

WASHINGTON (Reuters) - A Casa Branca descartou um encontro entre o presidente norte-americano, Barack Obama, e o líder revolucionário Fidel Castro em Cuba neste mês e está confiante de que o governo não vai criar obstáculos para uma reunião entre Obama e dissidentes em Havana, disse um importante assessor nesta quarta-feira.

Apesar do objetivo de melhorar as relações entre os países que eram adversários na Guerra Fria, Ben Rhodes, vice-assessor de segurança nacional, afirmou que Obama não vai usar a viagem para atender os pedidos de Cuba para fechar a rádio e a TV Martí, canais norte-americanos criados para transmitir programação anticomunista para a ilha.

Obama planeja se reunir com o presidente de Cuba, Raúl Castro, durante a visita histórica no período de 20 a 22 de março, mas não vai se encontrar com o irmão do presidente, figura emblemática que tomou o poder numa revolução em 1959 e governou o país por 49 anos.

"Não tivemos nenhuma discussão sobre um encontro como esse sendo realizado, e nós certamente não buscaríamos isso”, declarou à Reuters Rhodes, que foi um dos negociadores nas conversas secretas que levaram à reaproximação entre os EUA e Cuba.

Perguntado se um encontro estava descartado, ele respondeu: “Sim”.

(Por Jeff Mason e Matt Spetalnick)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos