"Vocês não vão se livrar de mim", diz Maduro a adversários

Por Andrew Cawthorne

CARACAS (Reuters) - O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, reiterou na quinta-feira que seus adversários vão fracassar em uma nova tentativa de retirá-lo do poder neste ano e terminar com os 17 anos de regime socialista no país.

Após ganhar controle da Assembleia Nacional em eleição no fim de 2015, a aliança da oposição iniciou uma campanha para remover Maduro usando manifestações nas ruas, um referendo e uma emenda constitucional.

A primeira manifestação está planejada para sábado em Caracas.

Falando à TV estatal, o presidente de 53 anos disse que seus inimigos estão divididos e são corruptos, e insistiu que é a pessoa certa para tirar a Venezuela da atual crise econômica.

"Estamos aqui para trabalhar sem distrações nos grandes objetivos da recuperação econômica", disse durante encontro com empresários e autoridades sêniores do governo. "E de lá, não vão se livrar de mim, e nem deveria se livrar de ninguém".

Críticos culpam Madulo para profunda recessão venezuela, inflação de três dígitos e escassez de bens básicos, dizendo que ele manteve teimosamente políticas econômicas estadistas de seu predecessor, Hugo Chávez, quando reformas eram necessárias.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos