Funcionários de Belo Monte são detidos por indígenas, diz Norte Energia

(Reuters) - Três funcionários e um prestador de serviços da Norte Energia, empresa responsável pela hidrelétrica de Belo Monte, foram detidos por indígenas na aldeia Curuatxé, na Terra Indígena Curuaia, que fica a cerca de 400 quilômetros da região em que está sendo construída a usina, disse a empresa nesta segunda-feira.

Os funcionários "foram impedidos de sair, no dia 10 de março, quando foram ao local monitorar ações" de compensação aos indígenas previstas no plano ambiental de Belo Monte, disse em nota a Norte Energia, que tem como acionistas a Eletrobras, a Cemig, a Light, a Neoenergia e a Vale, entre outros.

A empresa disse que "já comunicou o fato à Fundação Nacional do Índio (Funai) e à Polícia Federal, e aguarda providências para a rápida liberação dos funcionários".

A Funai disse que "tem conhecimento e já entrou em contato com os indígenas solicitando a liberação dos servidores retidos para que o diálogo seja retomado". Em nota, o órgão também afirmou que "não apoia a retenção dos servidores da Norte Energia ou de qualquer outra pessoa".

Belo Monte, que está sendo construída no rio Xingu, no Pará, será a terceira maior hidrelétrica do mundo quando for concluída, com 11,2 mil megawatts em potência. Atualmente, a usina realiza testes internos da primeira turbina, que deverá entrar em operação brevemente.

A usina tem sido alvo recorrente de ações judiciais por parte do Ministério Público Federal e de invasões e protestos por povos indígenas e organizações não-governamentais.

(Por Luciano Costa)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos