BC do Japão debateu a expansão dos estímulos além de juros negativos em janeiro, mostra ata

Por Leika Kihara

TÓQUIO (Reuters) - As autoridades do banco central japonês debateram a opção de expandir novamente seu enorme programa de compra de ativos na revisão de política monetária de janeiro, antes de eventualmente adotarem o plano de taxa de juros negativa que eles aplicaram, mostrou a ata da reunião nesta sexta-feira.

O banco central chocou os mercados em janeiro ao adotar a política de juros negativos ao lado do programa de compra de ativos para impedir que a volatilidade dos mercados financeiros afetasse a confiança empresarial e atrasasse o fim sustentado da deflação.

Quatro dos nove membros da diretoria do banco central não concordaram com a decisão de juros negativos, duvidando de quanto tal movimento poderia estimular o crescimento. A ação, posteriormente, gerou críticas por falhar em elevar os preços das ações ou evitar uma alta do iene.

Na revisão dos juros de janeiro, a equipe do Banco do Japão apresentou à diretoria duas opções: uma simples expansão dos estímulos e a ideia de acrescentar juros negativos a eles, segundo a ata.

Os membros optaram pela segunda opção, com os que a defenderam argumentando que os juros negativos dariam ao banco uma nova ferramenta de política monetária em caso de terem que afrouxar novamente, de acordo com a ata.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos