Fugitivo de atentados em Paris é preso após tiroteio em Bruxelas

Por Julia Fioretti e Barbara Lewis

BRUXELAS (Reuters) - O fugitivo mais procurado dos atentados islâmicos em Paris em novembro passado foi preso após uma troca de tiros com a polícia de Bruxelas nesta sexta-feira, informou a procuradoria-geral da Bélgica.

A mídia local relatou que Salah Abdeslam, o suspeito francês de 26 anos, ficou ferido durante a operação enquanto líderes da União Europeia se reuniam do outro lado da cidade para debater a crise imigratória da Europa. "Nós o pegamos", disse o secretário de Estado para Asilo e Migração belga, Theo Francken, no Twitter.

    Várias trocas de tiros ressoaram na área de Molenbeek, cenário de investigações anteriores sobre os ataques parisienses, e policiais foram vistos cercando um prédio de apartamentos na região.

O presidente francês, François Hollande, e o primeiro-ministro belga, Charles Michel, deixaram a cúpula para discutir a operação, disseram autoridades.

    Imagens de televisão mostraram forças de segurança vestidas de preto e usando balaclavas protegendo uma rua. Repórteres no local descreveram uma fumaça branca saindo de um telhado e um helicóptero sobrevoando as imediações.

    A mídia relatou que duas pessoas foram presas, que um terceiro suspeito pode estar envolvido e que Abdeslam foi ferido na perna, embora tenham surgido relatos conflitantes.

    A polícia belga havia encontrado impressões digitais de Abdeslam em um apartamento onde fez uma batida na terça-feira, afirmaram promotores mais cedo.

    A procuradoria-geral da Bélgica também disse que um argelino morto durante essa operação anterior provavelmente era uma das pessoas que investigadores belgas e franceses procuravam em relação aos ataques de 13 de novembro realizados pelo Estado Islâmico na capital francesa.

    A rede pública belga RTBF disse ter informações de que Abdeslam, cujo irmão mais velho se explodiu em Paris, "mais que provavelmente" era um dos dois homens que fugiram do local da batida antes de um atirador de elite da polícia matar Belkaid, de 35 anos, quando ele tentava pegar um rifle de assalto Kalashnikov.

    Outros veículos de mídia foram mais cautelosos a respeito das implicações da descoberta, dizendo que ela demonstra que o francês de 26 anos, nascido em Bruxelas, pode ter visitado o apartamento em algum momento.

    Um homem chamado Samir Bouzid é procurado desde dezembro, quando a polícia divulgou imagens de câmeras públicas que o mostraram transferindo dinheiro de Bruxelas dois dias após os atentados na França a uma mulher que em seguida foi morta durante um tiroteio com a polícia no subúrbio parisiense de St. Denis.

    Ela era prima de Abdelhamid Abbaoud, um belga que havia lutado na Síria e que se suspeita ter sido um dos mentores dos atentados que mataram 130 pessoas em Paris. Ambos morreram no apartamento de St. Denis, em 18 de novembro.

    As autoridades belgas têm 10 pessoas detidas por suspeita de envolvimento com Abdeslam, mas não há relatos de que o fugitivo tenha sido visto. Há muito se especulava na Bélgica que ele poderia ter fugido para a Síria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos