Colômbia vê mais casos de síndromes neurológicas associadas ao vírus Zika

BOGOTÁ (Reuters) - Os casos de síndromes neurológicas associadas ao vírus Zika aumentaram na Colômbia e o número total de infectados subiu 8,25 por cento, chegando a 55.724, informou no sábado o Instituto Nacional de Saúde da nação. Há 10.319 mulheres grávidas entre os infectados.

O boletim epidemiológico semanal revelou que, desde 15 de dezembro de 2015, foram notificados 352 casos de síndromes neurológicas (Guillain-Barré, polineupatia ascendente e outras doenças similares) com antecedente de sintomas compatíveis às do vírus Zika.

A Colômbia é o segundo país com mais casos de Zika na América Latina e no Caribe, atrás apenas do Brasil. Naquele país, a epidemia começou em outubro do ano passado.

Um médico diagnosticou há duas semanas o primeiro caso de microcefalia relacionado ao vírus na Colômbia, em um bebê que nasceu no norte do país, mas o Instituto Nacional de Saúde somente reconheceu um caso, e ainda como "provável", em um feto que foi abortado nos sexto mês de gestação.

Ainda pouco se sabe sobre o vírus, inclusive a sua real relação com a microcefalia, um defeito congênito que impede o crescimento da cabeça e o completo desenvolvimento do cérebro do feto.

    (Reportagem de Luis Jaime Acosta)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos