Ex-ministro Genscher, arquiteto da reunificação da Alemanha, morre aos 89 anos

Por Madeline Chambers

BERLIM (Reuters) - Hans-Dietrich Genscher, o ministro de Relações Exteriores da Alemanha mais longevo no cargo e ex-refugiado do leste comunista que ajudou a reunir o país, morreu aos 89 anos de idade.

Genscher morreu de insuficiência cardíaca em casa, cercado pela família, na noite de quinta-feira, informou o escritório dele em comunicado nesta sexta-feira.

Advogado que se filiou ao Partido Democrático Liberal (FDP, na sigla em alemão) depois de fugir da Alemanha Oriental, Genscher atingiu o auge do poder como primeiro ministro das Relações Exteriores da Alemanha reunificada.

Christian Lindner, atual líder do FDP, escreveu no Twitter que Genscher fez história, chamando-o de "arquiteto da unidade (e) um dos fundadores da União Europeia".

Comparado por alguns analistas a Henry Kissinger, ex-secretário de Estado norte-americano, e a Talleyrand, ministro das Relações Exteriores de Napoleão, Genscher usou sua habilidade diplomática para angariar apoio para a reunificação em meio a aliados hesitantes e ex-adversários.

Com o então chanceler (primeiro-ministro) Helmut Kohl, Genscher persuadiu Moscou a desistir de seu aliado mais leal da Guerra Fria e deixá-lo se juntar ao antigo "inimigo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos