Premiê chinês diz que reformas tributárias vão criar 10 milhões de empregos

PEQUIM (Reuters) - O primeiro-ministro da China, Li Keqiang, disse esperar que reformas tributárias reduzam o custo de inovação e ajudem a criar empregos para mais de 10 milhões de pessoas graduadas em universidades e escolas técnicas, de acordo com comunicado publicado no portal do governo na Internet nesta segunda-feira.

O número é superior ao de demissões estimadas enquanto o país reforma seu setor industrial para eliminar o excesso de capacidade e a ineficiência. Fontes disseram à Reuters no mês passado que a China planeja demitir 6 milhões de trabalhadores em companhias estatais nos próximos dois ou três anos como parte das reformas.

Li não estabeleceu um período de tempo para a criação dessas vagas.

O primeiro-ministro repetiu sua expectativa de que as reformas vão cortar 500 bilhões de iuanes em impostos este ano, conforme disse em declarações à Administração Estatal de Impostos na sexta-feira.

(Reportagem por Jake Spring e Clark Li)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos