Infantino se diz "consternado" após ter nome citado em 'Panama Papers'

BERNA (Reuters) - O presidente da Fifa, Gianni Infantino, ficou "consternado que a sua integridade estava posta em dúvida" em reportagens da mídia sobre um contrato que ele assinou há vários anos, disse a entidade que controla o futebol mundial em um comunicado nesta terça-feira.

Reportagens de veículos de comunicação, citando documentos vazados no chamado 'Panama Papers', disseram que Infantino assinou contrato com dois empresários argentinos, Hugo e Mariano Jinkis, que mais tarde foram indiciados nos Estados Unidos.

A Reuters não pôde determinar se o contrato que Infantino assinou estava relacionado com a conduta subjacente à acusação.

As reportagens disseram que Infantino, à época dirigente da Uefa, assinou um contrato com os argentinos para os direitos de transmissão da Liga dos Campeões da Europa na América do Sul.

A dupla, que era dona de uma empresa argentina chamada Cross Trading, em seguida, supostamente vendeu os direitos por um preço quase três vezes maior para a Teleamazonas, emissora no Equador, segundo os relatos da mídia.

"Estou consternado e não aceitarei que minha integridade seja posta em dúvida por certas áreas da mídia, especialmente dado que a Uefa já divulgou em detalhes todos os fatos relativos a estes contratos", afirmou Infantino no comunicado da Fifa.

(Por Brian Homewood)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos