Dólar tem leves variações ante o real com incerteza política e BC

Por Bruno Federowski

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar alternava entre leves altas e baixas frente ao real nesta quarta-feira, pressionado pelo ambiente político incerto no Brasil conforme investidores reduziam suas apostas sobre eventual impeachment da presidente Dilma Rousseff.

A decisão do Banco Central de não anunciar leilão de swap cambial reverso, equivalentes a compra futura de dólares, limitava a alta da moeda norte-americana. Operadores também adotavam cautela antes da divulgação da ata do Federal Reserve, banco central norte-americano, nesta tarde.

Às 12:08, o dólar recuava 0,36 por cento, a 3,6676 reais na venda, após subir 3,32 por cento nas duas sessões anteriores. A moeda norte-americana atingiu 3,7105 reais na máxima desta sessão e 3,6636 reais na mínima.

"O mercado está em dúvida, pisando com cuidado. É difícil saber o que vai acontecer em relação ao impeachment", disse o operador da corretora Spinelli José Carlos Amado.

Incertezas sobre se o governo será capaz de angariar o número de votos necessários para sobreviver vêm pressionando os mercados nas últimas sessões. O PP cancelou reunião marcada para esta quarta-feira para decidir se o partido romperia com o governo ou permaneceria como aliado.

O relator do processo de impeachement na comissão que analisa o tema na Câmara dos Deputados, Jovair Arantes (PTB-GO), apresentará nesta quarta-feira seu parecer.

O Palácio do Planalto espera derrota na comissão, mas avalia que o resultado não será tão ruim para o governo quanto o imaginado inicialmente e que a decisão do plenário da Casa, onde tem concentrado seus esforços, será a mais importante, disseram à Reuters duas fontes palacianas.

Apesar das altas recentes, o dólar enfrentava dificuldades para se sustentar acima de 3,70 reais após o BC deixar de anunciar leilão de swap reverso, depois de fazer diversas operações desse tipo nas últimas semanas, ajudando a tirar o dólar das mínimas em sete meses, na casa de 3,56 reais.

O BC manteve para esta sessão o leilão de até 5,5 mil swaps tradicionais, equivalentes a venda futura de dólares, para rolagem dos contratos que vencem no mês que vem. Com a venda integral, rolou ao todo o equivalente a 1,072 bilhão de dólares, ou cerca de 10 por cento do lote do mês que vem, que corresponde a 10,385 bilhões de dólares.

Investidores também adotavam cautela enquanto aguardavam novas pistas sobre o futuro da política monetária dos EUA com a divulgação da ata do Fed, às 15:00 (horário de Brasília).

Sinais conflitantes de autoridades do banco central norte-americano vêm alimentando incertezas sobre quando voltará a elevar os juros, manobra que tende a atrair para a maior economia do mundo capitais atualmente aplicados em mercados emergentes.

"Embora o motor do mercado no curto prazo seja local, o fator externo também é bastante relevante e pode afetar bastante as cotações", disse o analista de uma corretora internacional.

(Edição de Patrícia Duarte)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos