Presidente-executivo da Amazon defende cultura da empresa em carta a acionistas

SAN FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - O fundador e presidente-executivo da Amazon.com, Jeff Bezos, defendeu a cultura corporativa da varejista online, que foi o assunto de uma reportagem crítica feita pelo The New York Times no ano passado.

"A razão pela qual as culturas são tão estáveis ao longo do tempo, é porque as pessoas se auto selecionam", disse Bezos em carta enviada a acionistas nesta semana. "Alguém energizado pelo zelo competitivo pode escolher e ser feliz em uma cultura, enquanto alguém que ama o pioneirismo e a criação pode escolher outra", disse ele, acrescentando que a Amazon nunca declarou que a sua abordagem era a "única correta".

A Amazon foi assunto de uma investigação de meses pelo Times, que retratou que a empresa tinha uma cultura corporativa agressiva, a qual excluía trabalhadores que haviam obtido uma avaliação ruim de seus colegas e gerentes.

A varejista online refutou vigorosamente a reportagem do jornal após ter sido publicado no ano passado, com o principal porta-voz da empresa, Jay Carney, tomando a atitude sem precedentes de escrever uma carta pública para defender a Amazon e revelar informações pessoais sobre os ex-funcionários citados na reportagem.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos