Rússia diz ter removido mais de 1.500 minas em Palmira

MOSCOU (Reuters) - Forças russas ajudaram a remover mais de 1.500 minas na cidade síria de Palmira desde que a localidade foi tomada por forças do governo das mãos de militantes do Estado Islâmico em março, disse a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia Maria Zakharova nesta quarta-feira.

O grupo jihadista havia conquistado Palmira em maio do ano passado e dinamitou dois de seus templos da era romana, um arco do triunfo e torres fúnebres. A facção ainda deixou minas e bombas entre as ruínas e destruiu estátuas e mostruários no museu da cidade, disseram autoridades sírias e russas.

A Rússia, que forneceu apoio aéreo vital para a ofensiva do Exército, enviou engenheiros militares, cães farejadores e "robôs antiminas" para ajudar a desativar os explosivos na cidade.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos