Governo sírio libera cidadão dos EUA com ajuda da Rússia, diz Departamento de Estado

WASHINGTON (Reuters) - A Rússia desempenhou um papel na libertação de um cidadão norte-americano detido pelas autoridades da Síria, e os Estados Unidos mantiveram "contato periódico" com o governo sírio, afirmou o Departamento de Estado dos EUA nesta sexta-feira.

Em Moscou, o Ministério das Relações Exteriores disse que os militares russos levaram um cidadão dos EUA da Síria para a capital russa depois que o presidente norte-americano, Barack Obama, pediu pessoalmente a seu homólogo, Vladimir Putin, que ajudasse a buscar compatriotas seus na Síria. O homem foi entregue à embaixada dos EUA em Moscou e já deixou o solo russo, disse a pasta nesta sexta-feira.

O jornal Washington Post, citando duas autoridades dos EUA, relatou que o governo sírio libertou Kevin Dawes, que havia sido sequestrado depois de viajar para a Síria em 2012.

Dawes, descrito pelo jornal como um fotógrafo freelancer, recentemente teve permissão de falar com a família e receber pacotes de auxílio, o que deu a entender às autoridades que o governo de Damasco estava se preparando para soltá-lo, disse o Post.

O porta-voz do Departamento de Estado, Mark Toner, disse que a pessoa em questão foi libertada vários dias atrás e que deixou a Síria, mas não a identificou.

"Agradecemos os esforços da parte do governo russo, que este realizou em nome deste cidadão dos EUA na Síria", afirmou Toner em um comunicado à imprensa.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos