Kerry não planeja pedir desculpas por bomba atômica durante visita a Hiroshima

HIROSHIMA, Japão (Reuters) - John Kerry não vai oferecer desculpas pelo uso de bombas atômicas pelos Estados Unidos contra o Japão, quando se tornar o primeiro secretário de Estado norte-americano a visitar o Museu Memorial da Paz de Hiroshima, na segunda-feira, disse uma autoridade de alto-escalão norte-americana.

Kerry encontra-se na cidade, que foi destruída por uma bomba atômica lançada pelos EUA em 6 de agosto de 1945, para comparecer a uma reunião de chanceleres do Grupo dos Sete (G7), formado pelas economias mais avançadas do mundo. O Japão abriu o encontro neste domingo com um clamor pelo fim das armas nucleares.

O chanceler dos EUA deve se juntar a seus colegas de Grã-Bretanha, Canadá, França, Alemanha, Itália e Japão na segunda-feira para um passeio pelo museu da bomba atômica de Hiroshima, onde serão depositadas flores em um cenotáfio em homenagem às vítimas da explosão.

“Se você pergunta se o secretário de Estado veio a Hiroshima para se desculpar, a resposta é não”, disse um representante graduado do governo dos EUA, neste domingo.

“Caso esteja perguntando se o secretário e eu achamos que todos os norte-americanos e todos os japoneses estão repletos de remorso pelas tragédias que sobrevieram a tantos de nossos compatriotas, a resposta é sim”, acrescentou a autoridade, que falou sob a condição de anonimato.

(Por Arshad Mohammed e Kiyoshi Takenaka)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos