PP deixa governo, maioria "expressiva" da bancada é favorável ao impeachment

BRASÍLIA (Reuters) - O PP decidiu desembarcar do governo e entregar os cargos que ocupa, disse nesta terça-feira o presidente do partido, senador Ciro Nogueira (PI), poucos dias antes da votação do impeachment contra a presidente Dilma Rousseff no plenário da Câmara dos Deputados.

Uma das principais apostas do governo para tentar impedir o impeachment, especialmente depois do rompimento do PMDB no final do mês passado, o PP comanda o Ministério da Integração Nacional com Gilberto Occhi.

"Fui contra, mas tenho de respeitar a vontade da maioria", disse Nogueira numa troca de mensagens com a Reuters.

Pouco antes, ao término de uma reunião da bancada do PP na Câmara, o líder Aguinaldo Ribeiro (PB) havia anunciado que o partido encaminhará favoravelmente à abertura de processo de impeachment no domingo.

Segundo Ribeiro, a maioria "expressiva" da bancada é favorável ao impeachment, mas não há fechamento de questão sobre a votação e "algumas situações específicas" serão respeitadas na votação de domingo.

Um parlamentar do partido, que participou da reunião e pediu anonimato, disse que apenas 13 dos 44 deputados presentes no encontro se posicionaram contra o impeachment. O partido tem 47 deputados.

(Reportagem de Leonardo Goy)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos